,

Macrobentos de Fundo Inconsolidado

 

 

Os organismos bentônicos adultos são menos móveis do que o plâncton ou os peixes. Em função disso estão mais sujeitos às interferências ocorridas no ambiente, pela impossibilidade de fugirem quando as condições são desfavoráveis. Considerando essa característica, a ocorrência, a densidade e a estrutura/composição da comunidade bentônica, podem refletir as condições existentes, indicando existir situações adversas: dragagem, disposição de sedimentos, poluição, entre outras. Desta forma, são valiosos bioindicadores do grau de degradação existente em uma região. É importante destacar que a ocorrência e distribuição do macrobentos tem estreita correlação com condições naturais do ambiente como granulometria e composição do sedimento, temperatura e salinidade.

Os mapas apresentados no Atlas foram elaborados para diversidade e riqueza, com dados de coleta ocorridas entre 1974 e 2010, resgatados de 8 publicações: 5 acadêmicas (dissertações,teses, papers) e 3 técnicas (EIA-Rimas e Monitoramentos). Na seleção das publicações existentes sobre o tema, foram descartadas aquelas que não possuíam identificação em nível de espécie para nenhum dos grupos faunísticos. Há que se considerar, na avaliação, que existiram diferenças relevantes em cada estudo, quanto à área de coleta, amostragem, tratamento das amostras e dos dados.

Os layers são apresentados por época do ano, para permitir elaborar os mapas, de acordo com a sazonalidade.

Complementando os layers e mapas, são fornecidos os Metadados de acordo com a ISO 19115, onde também consta um resumo do trabalho utilizado como fonte do dado.

Metadados específicos são disponibilizados em uma tabela para auxiliar a entender as metodologias de coleta e de tratamento dos dados utilizados em cada trabalho. Para acessá-los clique em metadados/ metadados específicos.

 

FONTE DA INFORMAÇÃO

LOCAL DE ESTUDO

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

1. Tommasi, L.R. – 1979

Estuário e baía de Santos e

TOMMASI, Luiz Roberto 1979. Considerações ecológicas sobre o sistema estuarino de Santos (SP). Tese de Livre Docência. Inst. Oceanogr., S. Paulo, 487p.

2. Heitor, S.R. – 2002

Mar aberto da Praia Grande, Baía de Santos e Enseada do Guarujá

HEITOR, Simone Ribeiro.  Composição e distribuição da macrofauna bentônica em áreas sob influência da disposição oceânica de esgotos municipais na Baixada Santista e no Canal de São Sebastião, São Paulo, Brasil. Tese (doutorado). São Paulo: IO/USP. 2002.

3. CODESP-DTA, -2006 a 2010

Baía de Santos – área de descarte de sedimentos

CODESP-DTA. Relatório sobre monitoramento das atividades de dragagem na área de disposição oceânica do material dragado no Porto de Santos, 2006 até 2010.

4. CODESP-FRF, - 2008

Estuário e Baía de Santos

CODESP. EIA-RIMA da Dragagem de aprofundamento do canal e bacias de evolução do Porto Organizado de Santos, 2007.

5. Ferreira, J. A. – 2008

Baía de Santos e Plataforma Continental Adjacente

FERREIRA, J. A. Estudos das associações de anelídeos Polychaeta da Baía de Santos e plataforma Continental Adjacente (SP, Brasil) e suas interrelações com parâmetros físicos e geoquímicos estruturadores. Tese (doutorado). São Paulo: IO/USP. 2008.

 

6. Rodrigues, C. W. – 2009

Plataforma Continental Adjacente

Rodrigues, C. W. 2009. Composição e Distribuição dos Amphipoda (Crustacea: Peracarida) na Plataforma Continental entre São Sebastião e Peruíbe (São Paulo, Brasil). Dissertação de Mestrado, Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo.

7. CODESP-FUNDESPA – 2010

Baía de Santos e Plataforma Continental Adjacente

Plano Básico Ambiental da dragagem de aprofundamento do Porto de Santos. RelatórioTécnico Semestral. Setembro/2010

Coleta de Amostras: janeiro 2010

8. Buruaem et al. – 2013

Estuário de Santos

Buruaem, L. M.; Castro, I. B.; Hortellani, M. A.; Taniguchi, S.; Fillmann, G., Sasaki, S. T.; Petti, M. A. V.; Sarkis, J. E. S.; Bícego, M. C.; Maranho, L. A.; Marcela Bergo Davanso, M. B.; Nonato, E. F.; Cesar, A.; Costa-Lotufo, L. V.; Abessa, D. M. S. Integrated quality assessment of sediments from harbour areas in Santos-São Vicente Estuarine System, Southern Brazil, Estuarine, Coastal and Shelf Science. 130(2013): 179-189.ISSN 0272-7714, http://dx.doi.org/10.1016/j.ecss.2013.06.006.