,

Macrobentos de Fundo Inconsolidado

 

 

Período: 1974-1975  

Fonte dos Dados: Tommasi, L.R. 1979. Considerações ecológicas sobre o sistema estuarino de Santos (SP). Tese de Livre Docência.Inst. Oceanogr., S. Paulo, 487p.

Resumo:

Trata-se do primeiro estudo científico dedicado ao assunto na baixada santista. Ocoreram coletas em quarenta e duas estações circunscritas ao estuário e baía de Santos e baía de São Vicente. As estações foram agrupadas em zonas ecológicas determinadas pelo autor a partir dos critérios: similaridades hidrológicas, sedimentares e faunísticas.

Zonas ecológicas determinadas pelo autor (Fig. 1)

1-    Zona Interna do Canal de Santos (estações de 1 a 12);

2-    Zona Inicial do Canal de Santos (estações 13 a 18);

3-    Zona Oeste da Baía de Santos (estações 24, 25, 28, C, 33, 34, 35, 36, D, 40, 42, situadas a oeste do meridiano 46º20’42”);

4-    Zona Leste da Baía de Santos (estações 19, 20, 21, 22, 23, 29, 30, 31, 32, B, 37, 38, 39, situadas a leste do meridiano 46º20’42”);

5-    Zona da Baía de São Vicente (estações 26, 27).

 

Figura 1 – Representação dos pontos de coleta realizados no estuário e Baía de Santos e Baía de São Vicente, com indicação das zonas ecológicas.

 

Fig. 2. Representação dos Pontos após ajustes para postagem no Atlas

 

As coletas foram realizadas no período de dezembro de 1974 a julho de 1975.

Verão= 21 a 28 de dezembro de 1974 e 13 a 20 de fevereiro de 1975.

Outono = 18 a 21 de maio de 1975

Inverno = 7 a 13 de julho de 1995.

Parâmetros bióticos analisados: a) grupos taxonômicos (famílias, gêneros e espécies), b)densidade (número de exemplares/0,1m2), c) abundância, d) diversidade e, e) riqueza, por grupo, por estação e por zonas.

Grupos taxonômicos identificados: poliquetas, bivalves, gastrópodes, misidáceos, anfípodes, isópodes, cumáceos, tanaidáceos, decápodes e equinodermes.

No. total de espécies: 128 - poliquetas (58 spp), bivalves (34 spp), gastrópodes (12 spp), anfípodes (16 spp), tanaidáceos (2 spp) e equinodermos (6 spp).

Os poliquetas foram os animais bentônicos mais freqüentes e abundantes em todas as zonas. Os bivalves foram importantes nas duas zonas da Baía de Santos. Os gastrópodes na zona das estações 1 a 12, os anfípodes e ofiuróides na zona leste, e os equinóides na zona oeste e os tanaidáceos na Baía de São Vicente. Vários gêneros bem conhecidos de áreas poluídas ocorreram em Santos: Capitella, Dorvillea, Polydora, Tellina e Prionospio.

Observou-se variação sazonal (verão/inverno) para quase todos os parâmetros estudados, o que normalmente é percebido em regiões subtropicais como a estudada. Foram definidos os gradientes de estresse, sendo a zona das estações 1 a 12 a que se encontrava sob condições mais severas.