,

Balneabilidade

 

 

Mapa Temático          Balneabilidade – Santos

Autoria Sílvia Sartor, Fernando Degaspare e Carolina Taqueda, 2011

Apresentação:

A questão da balneabilidade das praias é assunto relevante para a população da Baixada Santista.e também para a população de São Paulo, que utiliza a região como balneário.

A avaliação da balneabilidade segue a legislação federal, Resolução CONAMA 375/05 (http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res05/res35705.pdf), que é padrão para toda a costa brasileira. Considera-se que densidades de enterococos superiores a 100 UFC/100mL em duas ou mais amostras de um conjunto de cinco semanas consecutivas, ou superiores a 400 UFC/100mL na última amostragem, tornam a praia imprópria para fins de recreação de contato primário.

A cidade de Santos é a mais populosa e com maior densidade demográfica da Baixada Santista. A CETESB (Cia Ambiental do Estado de São Paulo), é a agência responsável por emitir boletins diários sobre a condição das praias (http://www.cetesb.sp.gov.br/qualidade-da-praia/santos) . São amostrados sete pontos nas praias de Santos, sempre a um metro de profundidade: Ponta da Praia (em frente ao aquário municipal), Aparecida (em frente à rua Marechal Rondon), Embaré (em frente à casa Vovó Anita), Boqueirão (em frente à Rua Ângela Guerra), Gonzaga (em frente à Av. Ana Costa), José Menino (em frente à rua Olavo Bilac), e José Menino (em frente à rua Frederico Ozanan). A coleta de amostras intensificada durante os meses de verão e o resultado é utilizado para emitir os boletins.

Os mapas  indicam o resultado das medições para o verão (dezembro, janeiro, fevereiro e março), entre 1997 e 2009, com a porcentagem de resultados PRÓPRIOS ou IMPRÓPRIOS. É importante ressaltar que são fornecidos resultados de dados REAIS, isto é, de acordo com o que foi efetivamente medido e que não necessariamente é refletido nos boletins divulgados pela CETESB.

O índice é divulgado sempre com atraso em relação à medição, pois o tempo mínimo entre a coleta, a análise em laboratórios e a divulgação dos dados é de 48 horas. Além disso, a legislação do CONAMA adota a média baseada em 5 medições, o que implica em uma grande defasagem e inconsistência entre as informações divulgadas e a situação real da condição de balneabilidade das praias de Santos. (SARTOR e DEGASPARI, 2000, 2001).

Esse município apresenta uma particularidade importante relativa à condição de balneabilidade de suas praias: canais de drenagem construídos para evitar alagamentos foram contaminados por esgoto. Como medida alternativa o fluxo de drenagem foi desviado para a tubulação de esgoto, utilizando comportas. Entretanto, quando ocorrem chuvas intensas, o interceptor oceânico, que recebe a rede de esgoto, torna-se insuficiente para assimilar tanta água. Nessa condição as comportas são abertas e o fluxo dos canais é lançando diretamente para o mar, implicando em imediato comprometimento da balneabilidade. Essa alteração demora para ser detectada e relatada nos boletins oficiais da CETESB. Frequentemente, praias que por ocasião da amostragem foram classificadas como próprias para banho, podem já estar comprometidas e continuar apresentando a bandeira verde, que é a simbologia utilizada pela CETESB, para as praias em condições propícias para banho.

Também praias consideradas impróprias podem ter suas condições alteradas para próprias e não serem utilizadas em função do laudo negativo (SARTOR e DEGASPARI, 2000, 2001). Sendo assim, tanto a saúde dos banhistas quanto a economia local saem prejudicadas do impasse em discussão.

Conhecer a condição das praias em tempo real - diferencial importante para a economia e a saúde dos banhistas.

Além de organizar e disponibilizar os dados pré-existentes de balneabilidade em uma serie de 13 anos (CETESB, 1997 a 2009, Prefeitura de Santos 2002 a 2009, SARTOR e DEGASPARI, 2000; DEGASPARI, 2001), este trabalho desenvolveu nova metodologia  para a indicação da balneabilidade das praias de Santos, com resultados mais próximos à informação em tempo real.

Balneabilidade baseada em Situação das Comportas

Como fontes de dados utilizou-se Bibliografia que consta na Tabela 1.

Metodologia

1. Foram elaboradas Planilhas (planilha-base- Tabela 2), para os meses de dezembro a abril para os anos de 1997 a 2009, com os seguintes dados:

1. 1. Laudos técnicos semanais, da Prefeitura de Santos e da CETESB, de medições dos indicadores microbiológicos,

1. 2. Laudos Própria-Imprópria do Boletim CETESB

1. 3.  Registros do horário de abertura e fechamento das comportas.

2. Informações das planilhas-base foram simplificadas em planilhas de correlação e incongruências diárias (quando possível) entre o laudo CETESB com a “situação real”, obtida das amostragens;

3.  As contagens  foram transformadas em proporções quanto ao total de medições realizadas durante cada mês para o cálculo do grau de desvio existente nos resultados divulgados.

4. Com base nos estudos de (SARTOR e DEGASPARI, 2000, 2001), que estudaram nova referência para indicar a balneabilidade após estudarem o papel desempenhado pela situação das comportas (abertas ou fechadas), estabeleceu-se qual teria sido o laudo sobre balneabilidade (própria ou imprópria) nestes 13 anos de estudos;

5. A eficácia da metodologia-comportas  foi comparada com a situação real e os Laudos CETESB;

6. Elaborou-se gráficos  (Figura 1) comparativos para cada ano e,

7. Construiu-se gráficos comparativos sobre a eficácia dos métodos

Metadados

O Tema Balneabilidade, da forma como foi desenvolvido, ultrapassou aspectos vinculados à espacialização e geração de mapas elucidativos. Há detalhamentos particulares ao tema e ao município como critérios de análise para determinação da balneabilidade (limite numérico e tipo de indicador microbiológico utilizado em cada ano, segundo Resolução CONAMA vigente, particularidades locais (como Prefeitura também realizar medições e ligações de esgoto nos canais de drenagem), além de informações sobre situação operacional dos canais e das comportas de Santos (o que determina em grande parte a situação de propriedade e impropriedade das praias locais). Essas informações são essenciais para o entendimento do tema e estão disponibilizadas neste estudo.